Como e Quanto Cobrar na Fotografia – Dicas Essenciais para criar seu preço na Fotografia

Dúvida em como e quanto cobrar na Fotografia? Como criar Valores e Preços?

Provavelmente saiba que este assunto é realmente polêmico. Quando se fala nisso, há diversas opiniões e muitas vezes causam mais discussões.

A idéia deste artigo não é essa e sim te auxiliar com o máximo de informações que sei para te auxiliar a Calcular os valores de seus serviços de fotografia corretamente e que sue empresa siga em crescimento financeiro.

Como Cobrar na Fotografia Calcular Valores Contribuir

Para alguns fotógrafos mais experientes, fazer o cálculo de valores é uma tarefa bem simples, para outros nem tanto. Por isso, resolvi escrever estas dicas essenciais para quem precisa saber Como e Quanto Cobrar na Fotografia, ou seja, saber como precificar seu trabalho. De imediato é importante compartilhar que o valor que você receber para fotografar não é 100% lucro.

Lembrando que minha experiência é em fotografar casamentos e família, assim as dicas abaixo estão baseadas nestes pilares. Espero que lhe sejam úteis e possam te auxiliar a calcular seus valores.

No Cálculo de Valores para trabalhos Fotográficos se engana quem imagina apenas nos custos como Segundo Fotógrafo, Assistente, Impressão e Encadernação de Álbuns. Há muito mais para considerar.

A saúde financeira de seu estúdio precisa estar 100%, pois através dela é que conseguirá expandir seu negócio e também investir em conhecimento para crescimento contínuo.

Então, listarei abaixo os detalhes principais que você não deve deixar passar em branco, em hipótese alguma. Os valores aqui citados, são apenas exemplos. Analise e faça uma adaptação à sua realidade. Todos eles estão simulados como custos mensais.

Assista este vídeo e saiba como facilitar a criação de seus preços na fotografia

1. Calculando os Custos Fixos

Os primeiros itens a serem analisados e levados em consideração para saber quanto cobrar na fotografia, são os custos fixos, aqueles que independente de haver trabalho ou não, existem.

Geralmente são compostos de aluguel, água, luz, internet, telefone, salários de funcionários (incluindo o seu como empresário), alimentação, etc. Faremos uma simulação abaixo.

Como cobrar na Fotografia Custos Fixos

Aluguel do estúdio: R$ 1.000,00. Se você ainda não tem um estúdio, minha sugestão é acrescentar em sua tabela de preços, pois assim será muito mais fácil se capitalizar para montar seu novo estúdio.

Valores de Serviço Essenciais:  R$ 400,00. Água, luz, telefone e internet.

Móveis: R$ 400,00. Aqui entra as mesas, cadeiras, sofás, ou seja, tudo o que faz a estrutura de seu estúdio existir e funcionar.

Computadores: R$ 300,00. Se você ficou perdido em como calcular os valores dos computadores por evento, assista este vídeo que você vai conhecer uma planilha pronta e vídeo explicativo passo-a-passo!

Custos de Pessoal: R$ 2.800,00. Designer, Recepcionista, Limpeza. Aqui é importante considerar o salário de um designer, mesmo se você executa este trabalho, pois se por qualquer motivo precisar de um, o valor já está considerado em seu cálculo de valores.

ProLabore: R$ 3.000,00. Este é o Salário do Empresário, no caso você. Após calcular suas contas pessoais, como prestação da casa, carro, alimentação, diversão, poupança, terá uma estimativa de quanto você precisa receber.

Atendimento: R$ 300,00. Bebidas e Petiscos. Estes custos simples muitas vezes são deixados de lado e podem causar impacto no final do mês, quando é feito o fechamento financeiro.

Custos Fixos Mensais Totais: R$7.900,00

Vídeo Controle Financeiro na Fotografia

2. Calculando os Custos Variáveis

Aqui são listados os custos relacionados à execução do trabalho fotográfico, também precisam fazer parte compor o quanto cobrar na fotografia. Se não houver trabalho, estes custos não existirão. Por isso são variáveis.

Como cobrar na Fotografia Custos Variáveis

Darei um exemplo na fotografia de casamento.

2 Fotógrafos: R$ 1500,00. Como no caso do Designer, se você é um dos fotógrafos precisa receber o valor do trabalho. Mais uma vez, é importante calcular, pois em caso de emergência, também terá o valor reservado para repassar a um parceiro.

Depreciação de equipamentos: R$ 150,00. Aqui entram câmeras, lentes, cartões de memória, pilhas, bolsas, etc. É importantíssimo saber quanto seu equipamento custa por evento, assim conseguirá sempre se atualizar quando preciso. Minha dica é fazer um levantamento do que você tem e calcular em cima de 3 anos.

Álbuns: R$ 1.000,00. Pra saber o quanto cobrar na fotografia e fazer corretamente, os custos com álbuns também precisam fazer parte dos custos variáveis, incluindo o Designer se você terceiriza este serviço.

Estes são os custos variáveis padrões, de acordo com seu plano de negócio, poderá ser mais, como é o meu.

Valor total dos custos variáveis: 2.650,00

Apenas para reforçar! Os custos fixos, independente se houver ou não execução de eventos, eles existem. Vai precisar arcar com esta responsabilidade. Os custos variáveis, apenas se realizar algum trabalho, que neste exemplo, foi um casamento.

Quanto Cobrar na Fotografia?

Após obter os parâmetros dos custos fixos e variáveis é possivel saber o quanto cobrar na fotografia, como precificar seu trabalho.

O próximo o passo, é saber a quantidade de eventos que deseja realizar ao mês. Vamos dar exemplo que você fotografa apenas casamentos e sua meta é 4 eventos mensais.

Custos Fixos Mensais: R$ 6.200,00. Dividindo este valor por 4 eventos, temos 1.550,00 por casamento.

Custos variáveis: R$ 2650,00 por evento.

Custo Total por cada Evento: R$ 4.200,00

Calculando o Valor de Venda

Após o levantamento dos custos, precisa calcular o lucro de seu estúdio. Geralmente um Negócio bem estruturado, trabalha com lucro em média de 30%, então o valor de venda sugerido seria R$ 4.200,00 + 30% = R$ 5.460,00.

Impostos: Os impostos são existentes e precisam também ser calculados. Minha sugestão é abrir como Micro Empresa que sua taxa de imposto é 6%. Assim, ficaria R$ 5.460,00 + 6% ISS = R$ 5.808,00

Com a simulação acima, para que seu Negócio esteja financeiramente funcionando teria que precificar seu trabalho em casamentos por no mínimo R$5.808,00. Qualquer contrato fechado teria de ser no mínimo esse valor. Caso contrário, saberia que estaria deixando de lado algum custo essencial de seu Negócio.

Vale Ressaltar: Vale ressaltar que é importante analisar e reanalisar periódicamente sua tabela de valores, pois alguns custos podem sofrer alterações. Além disso, você como empresário deve também recalcular seu Pro Labore e deve ser calculado de acordo com suas despesas pessoais.

Até mais! 😉

Cursos Falando de Foto
  • Excelente artigo, consegui enxergar como estou cobrando errado. Mas também pude ver que tenho que mudar o tipo de cliente que estou atendendo. Valeu pelas dicas.

    • Olá Robson. Que bom que este artigo cumpriu meu objetivo, auxiliar os fotógrafos com dúvidas ou até mesmo, descobrirem se estão fazendo certo ou não no cálculo de valores.

      Abraços!

      • Maria Nilza Farias

        Parabéns William Lima, em disponibilizar parte de seu tempo para dar dicas valiosas para profissionais inexperientes. Preço sempre foi meu terror, agora sei direitinho como calcular. Estou começando a fazer trabalhos independente, o primeiro trabalho, quando pôs todas as contas na ponta do lápis vi que cobrei muito barato. Abs.

  • Roger

    A paixão muitas vezes vai de encontro com a realidade. Aliás, sempre. Quando estamos apaixonados, não pensamos, agimos por impulso e é exatamente desta forma que novos fotógrafos estão fazendo. Comprando uma DSLR de entrada, investindo em uma 50tinha e fazendo ensaios de suas amigas gestantes, 15 anos e até crianças. Mas, ao se deparar SÓ com os custos mensais, perceberá que nem tudo são flores. Cresceu o número de amadores, e amadores que estão virando profissionais. Mas também vai crescer o número de empresas que serão fechadas em 1 ano. Realmente não dá pra cobrar barato, sendo que isso também é relativo. É o valor justo mesmo.

    • Primeiramente, obrigado por seu comentário Roger.

      Espero que este artigo auxilie mesmo os aventureiros apaixonados.

      Abs.

  • Valeu mesmo, tudo o que você sugere tem lá sua razão de ser! Mas eu quero mesmo é parabenizá-lo pela sua postura coletiva em dividir informações! Mesmo existindo um interesse de marketing, isso é raro nas pessoas de qualquer segmento no mercado! Parabéns, Willian Lima!

    • Olá Giselta Veiga… Obrigado por comentar.

      Abraços!

  • Vicente Souza

    Muito top vc meu amigo… Quero fazer todos seus cursos!!!

    • Olá Vicente Seja Bem Vindo a meu Blog para Fotógrafos.

      Abraços.

  • Excelente artigo. Parabéns. Pena que eu não consigo, assim como muitos colegas, vender meu trabalho por esse preço. Mas aos poucos vou me valorizando, a medida em que meu trabalho melhora.

    • Arthur… obrigado por sua visita… a questão aqui não é vender seu trabalho por este preço e sim colocar todos os seus custos no papel… se você tem um custo menor, seu preço de venda será menor.

      Disse no início do artigo, que são valores de exemplos…

      Sucesso!

  • Bruno Franco

    Parabéns pelo Artigo Willian Lima !
    Estou montado meu estúdio e esse artigo é muito bom para definir e mensurar valores

  • Ronaldo Bezerra Estevão

    Willian, show de artigo…agora uma questão! No caso de trabalhar com pacotes com valores diferentes, acredito que adicionar ao 1/4 do custo fixo mensal o custo variável do pacote em questão também é uma boa saída, o que acha?

    • Ronaldo. Custo Fixo deve ser levado como custo fixo… Nunca deve ser levado como Custo Variável…

  • Artigo extremamente útil, o blog já foi para meus favoritos.

    • Olá Luiz, obrigado por sua visita e pela confiança!

  • Monalisa Santos

    Fiquei muito feliz em encontrar esse blog!! Preciso mesmo de dicas de preços, estou abrindo meu estúdio agora e já fiz vários trabalhos por fora ( casamentos, fotografia de aniversários, prévias, books) e tive prejuízos por não saber como precificar ou querer ser amiga demais dos clientes, mesmo sem conhecê-los! rs

    tenho acompanhado muitas dicas daqui!! Muito obrigadaa =)

    • Olá Monalisa. Feliz por meu blog estar auxiliando em sua caminhada. Bem vinda!

  • William lima nogueira

    Fala meu Chara.. !! Muito bom seus artigos. Dicas importantíssimas que ajudam muuuuito..Hoje muitos não valorizam os trabalhos, e nao vêem todo o estudo equipamento e investimento envolvido.. Parabéns cara.!

  • Flavio Motta

    Prezado, voce está redondamente enganado sobre o que é custo para formação do preço de venda e o que é despesa. Depreciação de sofá, cadeira, mesa, ou despesa de cafezinho não é custo. Sugiro estudar sobre Margem de Contribuição.

    • Olá Flávio, você está correto. Seria extremamente útil contribuir com seu conhecimento avançado não acha? Criticar é também colocar a mão na massa e contribuir! Aguardo um email seu com um artigo melhor que o meu para compartilhar com o pessoal! Abraços!

      • deia olliveira

        Obrigada William por compartilhar seus conhecimentos em todos os campos e aspectos da fotografia….Aqui nós nos ajudamos mutuamente e o amiga Flavio poderia ser mais um crítico colaborativo do que crítico negativo….
        Um abraço a todos e gratidão ao William….

  • Marcos Gabriel

    Finalmente encontrei um texto de fácil compreensão sobre esse tema. Já visitei dezenas de sites/blogs e nenhum me explicou tão bem quanto o seu!
    Super parabéns e (mais) sucesso pra você, meu chapa!
    Abraços!

    • Obrigado Marcos! Que bom que foi útil! Abraços!

  • Philippe Corrales

    Top seu artigo, Preciso me valorizar a melhorar ainda. Valeu vou acompanhar as suas dicas!

    • Obrigado Philippe. Desculpe ver seu comentário após 06 meses. Deixei passar!

  • Renan Puntel Fotografia

    Parabéns Willian… Sempre com dicas que nos fazem parar e repensar!!! Blog de utilidade fotográfica…

  • Pobre Marré

    Muito bom saber, pois sob a ótica do cliente, os preços cobrados são escorchantes!